sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Heli Giras

Diversões de Inverno!

Eis uma amostra do passatempo que por estes dias de liberdade sem aulas/exames cá pela Bélgica. O modelo em questão, de nome “Giras”, tem dado rodopios e alguns trambolhões pelos jardim aqui ao lado.

A caixa bem diz que isto não é um brinquedo e é absolutamente imprescindivel ler as instruções, mesmo que seja em espanhol, mas teimoso como sou compreendi uma parte e decidi experimentar. Cheguei à conclusão que o aprefeiçoamento da técnica vai-se fazendo com a tentativa e erro, como todo o ser humano que se preze.

Não é o meu ambiente natural (mar), mas estou a adaptar-me bem. Até mesmo curiosos pássaros vêm ver o que se passa com esta ave rara artificial que faz barulho e não tem destino.

Apesar de ter tido algumas peripécias com transiuntes e cães a passear, o principal factor de instabilidade e direcção foi sem dúvida a minha falta de coordenação com os comandos ajudado pelo fraco vento que se fazia sentir.

Deixo-vos aqui alguns momentos únicos de diversão, com som ao vivo e a cores, de autoria de Carolina Bilbao!!!



quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Paris!!!

No fim da época entediante mas de maior responsabilidade na vida de um estudante (exames), o regresso ao mundo exterior e a um quotidiano regado de liberdade foi bem empregue!

Humildemente vamos conhecendo o mundo por estas bandas. Desta vez falo de Paris, sim a cidade do amor, encanto, glamour e grandezas. Aproveitando a onda de viagens que a minha mãe vai fazendo anualmente, desta vez a Carolina e eu partimos de opel corsa em direcção a Paris. Apesar da nossa pegada ecológica estar a ser denegrida pelo uso exclusivo do automóvel como forma de deslocação, do ponto de vista económico saímos sempre a ganhar.


A viagem pela manhã de sábado foi-se fazendo bem, mas demorada por causa de nevões que esbranquiçavam a auto-estrada, chegando a velocidades estonteantes dos 50 aos 120 kms/h. (esta já é de domingo à noite de volta a Gent, com neve again!)

Com hotel pago pela MBnet, restava-nos conhecer melhor a cidade-destino. O metro é sem dúvida um elemento essencial que promove o turismo e simplifica a vida aos locais. Melhoramos a pegada ecológica, porque andar de carro em Paris não é brincadeira.

A cozinha portuguesa é fantástica e quando estamos no estrangeiro é que sentimos bem a imensa solidão dos emigrantes face à gastronomia nacional…Mas em Paris, come-se “À grande e à francesa!” Pois é caros leitores e compinchas/compatriotas, se vierem a Paris, venham com os pais ou quando ganharem o euromilhões, porque os pratos apesar de serem típicos, de alta qualidade, com produtos única e exclusivamente Francos, os valores não se prendem com modéstias! Mas quem conhece bem o sítio, como o caso da minha madre, esquemas e contactos têm múltiplas utilidades.

A começar pelos “escargots” (caracoletas recheadas), costeletas de borrego, passando pelo famoso caviar de beringela, regado de vinhos tintos das “Chateau”s francesas com “fromage” (queijo) para sobremesa, conseguimos terminar a 1ª refeição sem que as costuras se rompessem. Mas a voltinha depois do almoço foi obrigatória! Por ser enorme, convém andar bem equipado para andar e conhecer Paris sem entraves. Os ténis ou sapatos confortáveis são uma mais-valia, tal como os casacos e acessórios de Inverno, porque o frio não poupa…sem falar da crucial máquina fotográfica que convém estar provida de bateria e rolo/cartão prontos para se encherem de monumentos, acontecimentos e turismo desnudo!
Aqui está representada uma réplica da estátua da Liberdade que Bartoldi ofereceu aos Jardins do Luxemburgo em Paris. Os parques parecem pequenos, mas as suas magnitudes ultrapassam qualquer semelhança com os nossos. Já tinha cá estado uns anos atrás e aí entendi porque era a cidade do amor e esses adjectivos todos. Tudo é à grande e com uma população mais diversificada que eu sei lá...há de tudo por aqui…, mas os ricos continuam a enriquecer enquanto os pobres mendigos vão sobrevivendo.




Visitamos a cidade de uma perspectiva exterior, contudo os jardins e palácio do Louvre, Jardim do Luxemburgo, Torre Eiffel, Ilhas por entre o canal do rio Sena onde se encontra a Notre-Dame, Obelisco, Arco do Triunfo em Champs Elissé, para além de muitos outro ícones foram vislumbradas com grande entusiasmo.












A Av. Montaigne, uma das mais chiques da cidade, onde se encontram as famosas marcas da moda apresentam montras extravagantes.














Esta avenida foi também onde a minha mãe se acolheu por ter um conhecido, também ele excêntrico, com um apartamento-musem, ora vejam:

Já no domingo, o almoço foi em casa do embaixador francês em Portugal que, com a sua séria diplomacia, nos serviu gostosas ostras e pratos típicos com vinhos à mistura e queijo para degustação.


Após vários kms percorridos a pé pela cidade, chegava a hora de partir, mas sem antes aproveitar o jantar, privado de entidades importantes, sem no entanto envolver iguarias astronómicas, tal como as pernas de rã frita. A principio a minha reacção foi de estranheza, mas tal como os porcos, vacas, frangos e peixes, as rãs também são “cultivadas” numa espécie de ‘anficultura’…

O belo do turista tem sempre que adquirir alguns itens da zona, por isso desta vez somos artístas no meio da multudão:

Aproveito para dizer que hoje fomos estreiar o meu presente de Natal oferecido pela Carol...um helicópetro telecomandado!!! Tem uma graciosidade brutal, mas claro que sendo amador, ha que ir aperfeiçoando as técnicas de comando...com alguns percalsos foi preciso encomendar pela net mais umas hélices, não vão as ultimas duas partirem-se.


Quem quisere vir cá, poderá experiementar o meu novo brinquedo...mas não é para crianças!!!

À tout suit

sábado, 9 de janeiro de 2010

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Os emigras tb imigram!

Desta vez falo porque vamos voltar uns dias a Portugal, como de costume nesta época natalícia com o propósito de estar com os entes mais queridos.
O blog tem estado com pocas novidades, mas temos tido bastante programação agendada nos últimos tempos.
Agora que é Natal, há por aqui mercados de da época que fazem amontoar centenas de pessoas, que mais parece um fernezim de socialização...o espirito é deveras intenso e chega a invadir-nos com o espírito, até mesmo com o frio que está. Aliás, hoje já nevou e tudo ficou bem branquinho, mas só por umas horas. Amanhã avisinha-me mais cristais de neve.
De malas feitas e casa fechada, estamos de partida.

Desejamos umas boas festas e até muito breve!

Si e Carol

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Mais pegadas deixadas por aí!

Ultimamente este blog tem estado um bocado esquecido. Como hoje ainda não parou de chover é uma excelente oportunidade para actualizar as novidades!

Temos aproveitado para conhecer novos sítios e como não podia deixar de ser, as aventuras continuam.

No feriado de 11 de Novembro (o dia de comemoração do final da 1ª Guerra Mundial) rumámos até às ilhas holandesas. O dia foi passado maioritariamente no carro, passámos em Zelzate, Middleburg e parámos para almoçar numa pequena vila chamada Niew Haamstede. Embora algumas destas zonas sejam industriais, o facto de estarem rodeadas de mar e canais conferem-lhes alguma beleza.

O objectivo era ver o pôr-do-sol numa praia em Rockanje mas como chegámos depois das 4 da tarde já não conseguimos ver grande coisa. O frio que se fazia sentir era tal que não conseguimos desfrutar, como gostaríamos, de um momento cada vez menos habitual que é estar na praia.

Já durante a semana passada, decidimos acordar às 6 da manhã e seguir em direcção ao parque natural Bourgoyen Ossemeersenare (em Gent). Começámos com um BTT na floresta, só com as luzes das bicicletas, mas como nos dias anteriores também tinha chovido, não se podia parar, caso contrário ficaríamos enterrados na lama! A sensação de se estar no meio da floresta, ainda sem luz do dia, a ouvir os bichos, sentir as bicicletas a ficarem enterradas, “sprintar” sem parar e não ver um palmo à frente é um máximo!

Mas, o que nos levou a este parque foi fazer identificação de espécies de aves. Quando a luz do dia começou a espreitar fomos até um observatório (pequenas casas de madeira no meio do parque que permitem ver a fauna sem que ela nos veja!), conseguimos identificar 21 espécies em cerca de uma hora.



Não percam os próximos episódios porque nós também não! ;)

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Rumo ao mar do Norte

Com vontade de saír da cidade de vez em quando, no fim de semana passado, fomos para casa de uma colega minha (Johanna), que nos convidou muito amavelmente para a sua casa de férias na costa Norte da Bélgica, onde já vos expliquei que é zona de ricos nas férias de Verão.



A intenção era juntar a malta toda do meu mestrado, mas como há culturas diferentes, a malta do Oriente e mais alguns curtaram-se ao fim de semana.



Na sexta-feira lá partimos para De Haan, que significa o Galo. Depois de lasanha, vinho e tal sentimo-nos mais em casa. Já no sábado fizemos uma mega tartaruga de areia para pôr no site do mestrado e assim estivemos à chuva na praia de ar triste e cinzenta que aqui vos mostro. Com a curiosidade de estes belgas fazerem passeios organizados com os vizinhos e amigos de modo a poderem passear os seus tão estimados cães na extensa praia, para que estes também socializem entre eles. Deve ser para os cães como é para nós irmos para um bar ou discoteca cheia de pessoas, mas ao ar livre.


Confesso que ainda não me banhei nas águas do mar do Norte, mas esse mergulho há de vir...não é pelo frio, nem pela chuva ou falta de sol, mas é mesmo porque a água por estas bandas é bem suja, ou em termos científicos, apresenta bastante resusspensão de matéria orgânica, uma visibilidade acima do 1metro de profundidade e pouca ondulação.






Já no domingo, estava um dia fabuloso, tirando o vento, acordarmos tarde devido à festa que fizemos em casa e da hora ter mudado, lá tomamos o pequeno almoço a horas decentes para um Domingo e decidimos sair das 4 paredes para apanhar ar.
Alugamos umas bicicletas/carro com pedais, tipo flinstones para 11 (6 lugares com pedais e outros 3 para ocupantes passivos mais 2 para crianças). Em uma hora conseguimos estragar o 1carro (depois fomos lá trocar), a Carolina torceu o pé, conseguimos fazer saltar uma roda do 2º carro, o que fez com que tivessemos que empurrar o carro, em vez de pedalar. O que vale é que estavamos bem dispostos.


Infelizmente a dôr de que a Carolina se queixava era mesmo um entorce e por isso tomamos medidas: gelo para o pé, emulgel, seguido de uma toalha quente por cima da zona inchada, e mais um anti-inflamatório para estabilizar. Mas hoje já está bem melhor.


Um bem haja e als het u belieft


Si

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

O Rei Leão ficou sem juba


Para quem ainda não tinha reparado... O Si rapou o cabelo... é que está calor por aqui!! ;)

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Nouvelle Vague ROCK!

“Nem vais acreditar, Nouvelle Vague está hoje em Gent e os bilhetes estão todos esgotados!” disse o Sidónio com um ar um pouco decepcionado.

Já cá estamos há um mês e não fazíamos ideia… a culpa é dos sites e jornais que promovem espectáculos e outros eventos culturais TODOS em Flamengo, o que para nós é quase sinónimo de Chinês…

Enfim, não foi isso que nos deteve. Decidimos ir para a porta do teatro tentar a nossa sorte!
“Spare Tickets?!”, “Spare Tickets?” perguntávamos a toda a gente que ia passando.

Naquele momento estava o Sidónio, a Johanna (alemã) e eu sendo que mais tarde se iria juntar a Anna-Mary (grega) que vinha com outro amigo. Quer isto dizer que éramos 5 gatos-pingados à procura de bilhetes… A verdade é que não tínhamos muita fé mas pensámos que se não tentássemos de certeza que não iríamos conseguir.

Lá continuávamos “spare tickets?!”. O primeiro apareceu de forma muito discreta, um rapaz que tinha um bilhete a mais. Como a Johanna tinha chegado primeiro ficou com o dito. Um já está! – Pensámos em uníssono.

Uns minutos depois ouvimos uma voz a gritar “anyone wants a ticket?” o Sidónio apressou-se a responder e quando o Sr. se aproximava do Si um outro veio ter comigo “are you still looking for tickets?”. Em poucos minutos conseguimos 3 bilhetes pelo preço original!! Nem queríamos acreditar. A fé era tão pouca quando saímos de casa que nem as máquinas levámos… totós…

Não interessava nada, estávamos todos contentinhos com os bilhetes nas mãos, isso é que era importante!
Depois de entrarmos no recinto excitadíssimos (que era um pequeno teatro perto do centro da cidade) fomos trocar dinheiro por JETONS para beber umas cervejolas e festejar.

Encontrámos o Sr. que vendeu o bilhete ao Si e que nos explicou que o marido de uma amiga tinha ficado doente e por isso não poderia ir. No fim o Si foi ter com a Senhora disse-lhe que tinha pena que o marido estivesse doente mas que tinha ficado muito contente por ter assistido ao concerto!

O concerto começou 10 minutos depois da hora prevista e devo dizer-vos que foi FENOMENAL!!!!!!!

A única coisa que estranhámos e NÃO entranhámos foi a forma de estar do público… PARADOS que nem espetos na terra… Também não fez diferença nenhuma porque nós curtimos que nem uns malucos. Berrámos e dançámos o tempo TODO!

Agora que penso melhor sobre o assunto, talvez estivessem parados porque as vocalistas são muito giras, tão giras que ficaram todos estonteados (e babados) com a sua beleza! Lol

O concerto foi tão bom que a banda teve de voltar ao palco 2 vezes para satisfazer o público :) ao vivo são ainda mais FANTÁSTICOS!




Depois de acabar (snif) continuámos a beber cervejolas com o JETONS que encontrámos perdidos no chão! Afinal, a Anna-Mary tinha conseguido entrar! Depois de o concerto ter começado sentou-se à porta com cara de cachorro abandonado à chuva até os porteiros cederem em vender mais 2 bilhetes!

Cervejola puxa cervejola e mais cervejola pede um cigarrito. Toca de vir a tropa toda para a rua. Estávamos todos a conviver com mais uns quantos gregos quando alguém diz “look it’s Melanie Pain” (a vocalista principal – para os rapazes é a morenaça da banda) lá fizemos a festa toda e pedimos para tirar uma fotografia (ainda estou à espera que enviem).

Ainda incrédulos começámos a comentar que só faltava a “Blondie”, “Blondie is in the shower” responde a Melanie.

Os gregos queriam era a loira “BLONDIE, where are you?” e riamos que nem uns parvos! Passado um bocado, já estávamos noutra, a conversar, quando APARECEU a blondie!!!

“Please take a Picture with us; we came from Greece just to see you” (TANGAS) mas lá tirou a fotografia. A Nadeah Miranda seguiu com um ar exausto para o Hotel e nós voltamos todos contentes para casa!








Foi uma noite FANTÁSTICA e sugere-se que marquem a vossa presença nos concertos que vão dar em Portugal (Lisboa e Porto) no princípio Dezembro!

Só para rematar, hoje vamos fazer um mini jantar cá em casa (5 pessoas: 3 tugas, uma alemã e uma belga - até porque não temos logística para mais) onde vamos começar com um queijo de Azeitão, mexilhões e no fim uma belíssima feijoada com chouriço e farinheira – trazidos pela Tia Cristina!

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Conjugação de letras

Recentemente descobrimos que aquelas palavras-chave usualmente utilizadas por estrangeiros recém chegados, como: obrigado, muito obrigado, de nada, se faz favor, olá, adeus e afins nada se comparam com a linguagem de origem latina.

Por exemplo, se estou num supermercado ou num café, e recebo troco do produto, o empregado/a muito educadamente responde : als het u belieft, querendo ele/a dizer toma lá se faz favor, mas não se enganem, porque, por mais educados que possam ser, verifiquem sempre o troco...há ratolas por todo o mundo, não é só em Portugal.



Adeus: tot ziens
Obrigado: Dank u, que mais soa a dar o CU, Cartão Único...
Muito obrigado: Dank u well

Novamente, o als het u belieft, serve para de nada, mas imaginem que também se utiliza para se faz favor e indo ao google, a tradução é mais que uma simples expressão, mas são pelo menos 3.


Ora, aqui estão as pragas das bicicletas numa das ruas mais movimentadas pelos estudantes da cidade, no dia do "Kick off", a chamada recepção ao caloiro, que se protagoniza pela existência de inúmeros jovens estudantes, uns mais que outros, num evento cultural: levantar o copo várias vezes por noite, com uns concertos de fundo e muito gargalhada à mistura.

Com cerca de 60.000 estudantes que a cidade tem, em que 4 em 5 têm bikes, agora façam as contas para os estudantes, fora os residentes, que no total são cerca de 237.000 paxs...


Na idade média, Gent tornou-se numa das maiores e mais ricas cidades do Norte da Europa, será que era por isto? ->


<- Ou por isto?

Qual seja ela a razão, isto é de facto uma cidade a pôr nos vossos roteiros.

Ast het u belieft...que no fundo se diz: " Óstublift"



domingo, 18 de outubro de 2009

Hoje há Lisboa

Já viste?
como em tudo
a melhor parte não é
o jardim
mas a ideia
de chegar.

São as cores
da viagem
as pessoas, os sons
os cheiros,
o caminho,
a marca nas folhas
no chão
no teu corpo
e a saudade.

Hoje há Lisboa
pela janela
como um abraço
de dentro para fora
... olha, anda,
quando chegares,
lembra-te do caminho.